quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

A Rendeira


Blog de meuamorvirtual :Borboletando, A Rendeira

A Rendeira

Na teia da manhã que se desvela,
rendeira compõe seu labirinto,
movendo sem saber e por instinto
a rede dos instantes numa tela.

Ponto a ponto, paciente, tenta ela
traçar no branco linho mais distinto
a trama de um desenho tão sucinto
como a jornada humana se revela.

Em frente, o mar desfia a eternidade
noutra tela de espuma e esquecimento
enquanto, entrelaçado, o pensamento
costura sobre o sonho a realidade.

Em que perdida tela mais extrema
foi tecida a rendeira e este poema?

Adriano Espínola

Blog de meuamorvirtual : Borboletando, A Rendeira


Gosto de textos que falam de bordados. Um desenho construído ponto a ponto, com arte e paciência, assim como a vida, a qual vamos acrescentando cores e formas todos os dias.

Achei belo este poema, onde tudo se entrelaça...  a rendeira, o mar, o pensamento que bordam e que, ao mesmo tempo, fazem parte do bordado. Assim como nós...

Um dia maravilhoso para todos, com lindas matizes, com lindas cores, deixando este pedacinho do bordado mais alegre, mais colorido!

com carinho

Isabel

Blog de meuamorvirtual : Borboletando, A Rendeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...