domingo, 31 de janeiro de 2016

Pássaro da Lua

Blog de meuamorvirtual :Borboletando, Pássaro da Lua

Pássaro da Lua

Pássaro da lua,
que queres cantar,
nessa terra tua,
sem flor e sem mar?

Nem osso de ouvido
Pela terra tua.

Teu canto é perdido,
pássaro da lua...
Pássaro da lua,
por que estás aqui?

Nem a canção tua
precisa de ti!

Cecília Meireles

Blog de meuamorvirtual : Borboletando, Pássaro da Lua

Bom dia, queridos amigos!

Pequena Canção, de Cecília Meireles, é um dos poemas que compõem o livro Vaga Música, publicado em 1942. Não é à toa que o livro tem este nome, pois a maioria dos poemas é composta em forma de canção, que privilegia a sonoridade das palavras e o ritmo, o cadenciamento entre sílabas forte e fracas, deixando-o musical.

O poema inicia-se com um questionamento: como o pássaro da lua pode cantar se em sua terra (Lua) não há flor nem mar?! O primeiro aspecto, então, é a negação da inspiração, a negação do motivo para o pássaro cantar.

A segunda estrofe contém a segunda negação: não há para quem o pássaro cantar. Sendo assim, seu canto é perdido. Temos aí um jogo de palavras que explora a sonoridade e o significado da palavra osso, que também pode ter o sentido de ouço: "nem osso de ouvido"  refere-se aos ossos que o ouvido tem, dando a entender que o pássaro da lua não tem ninguém  para ouvi-lo. Portanto, perde-se a razão do canto e acentua-se a solidão do pássaro.

Na terceira estrofe temos a negação da própria razão de ser do pássaro. A canção, sem ter aquilo de que falar e sem ter para quem falar, não precisa de um cantor. É a negação total, numa situação de desolamento, em que não há nem flor nem mar nem ouvido e nem a razão de ser do pássaro, que é cantar. Ninguém precisa dele, nem mesmo a canção.

Indiferente a todas as razões, o pássaro da lua simplesmente canta. E, por estas mesmas razões, seu canto é mais puro, mais belo, mais cristalino!

Blog de meuamorvirtual : Borboletando, Pássaro da Lua

Este poema nos remete a um outro, da própria Cecília:

Inscrição na Areia

O meu amor não tem
importância nenhuma.
Não tem o peso nem
de uma rosa de espuma!

Desfolha-se por quem?
Para quem se perfuma?

O meu amor não tem
importância nenhuma. 

Cecilia Meireles 






Beijos, um ótimo final de semana para todos!

com carinho

Isabel

Blog de meuamorvirtual : Borboletando, Pássaro da Lua

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...