segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Atrás da Porta




Atrás da Porta

Quando olhaste bem nos olhos meus
E o teu olhar era de adeus
Juro que não acreditei, eu te estranhei
Me debrucei sobre teu corpo e duvidei

E me arrastei e te arranhei
E me agarrei nos teus cabelos
No teu peito, teu pijama
Nos teus pés ao pé da cama
Sem carinho, sem coberta
No tapete atrás da porta
Reclamei baixinho
 
Dei pra maldizer o nosso lar
Pra sujar teu nome, te humilhar
E me vingar a qualquer preço
Te adorando pelo avesso
Pra mostrar que ainda sou tua

Chico Buarque

photo

A Mulher na Canção de Chico Buarque

A Desprezada

Mais uma música do Chico Buarque, onde ele assume a visão pela perspectiva da mulher, onde o eu-lírico é feminino.
Nesta composição, ocorre o processo de aniquilação da mulher, que começa com "os olhos nos olhos", onde ela percebe que o olhar é de adeus. A partir daí, começa a queda, a decadência, a humilhação, o rebaixamento, de uma forma metafórica, lenta e teatral.

No primeiro momento ela o olha nos olhos - nivelamento. Depois, se agarra em seus cabelos e vai descendo: em seus pelos, seu pijama, aos seus pés, aos pés da cama. Nessa etapa, o aviltamento chega ao seu ponto máximo: sem carinho, sem coberta, no tapete atrás da porta. Passa-se a impressão de um cachorrinho, de um animalzinho abandonado e carente. É o abandono total. A partir do instante que ela se agarra aos pés da cama, nota-se a ausência do ser amado, que a abandonou de uma forma definitiva.

Começa-se então uma nova fase: a da vingança, numa nova gradação. Primeiro, ela reclama baixinho, depois começa a maldizer o lar, a sujar o nome do amado e a humilhá-lo, numa reação típica de quem ama perdidamente e se vê abandonado. É uma dor sem limites, que procura um escape, uma fuga, um alívio, na vingança.

O contrário do amor não é o ódio, é a indiferença. Todas as ações da mulher desprezada serviam apenas para chamar a atenção do seu amado, serviam apenas para mostrar-lhe, de uma maneira enviesada, pelo avesso, que ela continuava a amá-lo desesperadamente.

A continuação desta história se dá na música "Olhos nos Olhos", que será o tema do próximo post.

Abaixo, uma sequência de imagens de Pablo Picasso, que retrata como ninguém, através da decomposição, da desestruturação, a dor da mulher abandonada e profundamente ferida.

Beijos,

Isabel

Blog de meuamorvirtual : Borboletando, Atrás da Porta 2 - Elis Regina
Blog de meuamorvirtual : Borboletando, Atrás da Porta 2 - Elis Regina
Blog de meuamorvirtual : Borboletando, Atrás da Porta 2 - Elis Regina
Blog de meuamorvirtual : Borboletando, Atrás da Porta 2 - Elis Regina
Blog de meuamorvirtual : Borboletando, Atrás da Porta 2 - Elis Regina
Blog de meuamorvirtual : Borboletando, Atrás da Porta 2 - Elis Regina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...