sábado, 20 de fevereiro de 2016

Lua em Verso e Prosa


Lua em Verso e Prosa

Sobre o mar a lua deitou sua lamúria
esparramou nas águas oceânicas sua fúria
cheia de si mesma
minguou até escurecer a própria face
tornou-se um quarto crescente
de gemidos e mágoas
envelheceu
até lembrar-se de que uma parte sua
ainda era nova

Lua cheia
lua minguante
lua crescente
lua nova
Lua que é meia
lua carente
canta suas dores
em verso e prosa

Úrsula Avner



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...