quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Nevoeiro


Nevoeiro




Hoje tua ausência desceu sobre os telhados
como um nevoeiro fora da estação,
denso e perturbador.

A mata se fechou nos seus queixumes 
e pássaro algum ousou atravessar 
a minha agonia silenciosa.
Nem a lua ociosa cintilou sobre os outeiros.

Ao longe, apenas o vento vem me contar que choras,
que choras como eu nossos sonhos esfacelados,
perdidos entre as estrelas e a as areias....



Luna





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...