sexta-feira, 1 de junho de 2012

A Mulher na Canção de Chico Buarque - Terezinha de Jesus



Terezinha de Jesus


Terezinha de Jesus deu uma queda
Foi ao chão
Acudiram três cavalheiros
Todos de chapéu na mão

O primeiro foi seu pai
O segundo seu irmão
O terceiro foi aquele
Que a Tereza deu a mão

Terezinha levantou-se
Levantou-se lá do chão
E sorrindo disse ao noivo
Eu te dou meu coração



A cantiga popular "Terezinha de Jesus" mostra o percurso do desenvolvimento da afetividade e da sexualidade feminina, desenvolvida em etapas representadas pelas personagens que lhe dão a mão.


O chapéu representa a virilidade, a masculinidade. O fato de estar na mão pode significar cortesia, cavalheirismo, gentileza e representar o instinto de proteção do homem em relação à mulher, mas pode também ter uma conotação implícita de sexualidade presente na relação homem-mulher, pode representar a conquista, a corte, o convite, a escolha...

Os dois primeiros (pai e irmão) representam a fase edipiana que acontece na infância e que faz parte do desenvolvimento e do amadurecimento da criança, que busca, nos brinquedos e nos adultos, símbolos, modelos, representações da vida adulta, do papel que ela irá desempenhar futuramente.

A queda está relacionada à tomada de consciência, à puberdade, à transição da infância para a vida adulta. É a percepção do conceito do lícito e do ilícito, o sentimento de fragilidade, a chegada do momento de se fazer escolhas e de dar uma direção à vida. É o momento da separação, o momento do crescimento, que traz também uma sensação de desamparo e de culpa.

São três que lhe dão a mão e ela sabe que agora terá que deixar para trás o sentimento conflituoso, mas que a fez perceber o mundo, e escolher "aquele", o terceiro, o elemento novo que aparece na sua vida, trazendo novas perspectivas. Dar a mão a ele significa que agora ela está fazendo as próprias escolhas, que está saindo do mundo de faz-de-conta, onde era protegida, para ingressar em um novo mundo. É a simbologia da passagem para uma nova realidade, para a vida adulta. Agora ela não é mais Terezinha (criança), mas Tereza (mulher).

As cantigas de roda e os contos de fada estão repletos de simbologia que representam, de maneira inconsciente e lúdica, a vida adulta, e mostram para a criança que há enfrentamentos, que há obstáculos para que ocorra a passagem para o mundo que a espera.



Beijos para todos!

Isabel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...